Janela partidária termina nesta sexta-feira com o PSB fortalecido na Câmara do Recife

114
Foto: JC Imagem

O prazo para vereadores que quiserem trocar de partido para se candidatarem à reeleição ou disputarem o pleito majoritário, encerra nesta sexta-feira (3). Conhecida como “janela partidária”, esse é o único instrumento em que o detentor de cargo eletivo proporcional, como o de vereador, pode mudar de partido livremente, sem correr o risco de perder o mandato.

Na Câmara Municipal do Recife, por exemplo, as mudanças já apontam um redesenho significativo, principalmente em relação ao PSB, partido do prefeito Geraldo Julio e do deputado federal João Campos, cotado para a sucessão. A bancada socialista passou de 12 vereadores para 20 parlamentares – segundo dados apurados até esta quinta-feira (2). Entre as mais recentes filiações ao PSB, está a do vereador Benjamim da Saúde, que antes era do partido Patriotas. O parlamentar Marcos Di Bria, que era filiado ao PSDC, agora também integra o ninho socialista. Na ocasião, os dois haviam sido recepcionados pelo deputado João Campos, no ato de filiação.

“O PSB vai ter a maior chapa da história, a mais competitiva e que vai eleger o maior número de vereadores do Recife na história do partido. A gente está entregando ao Recife a possibilidade de ter grandes quadros”, declarou Campos, também presente no ato de filiação da vereadora Goretti Queiroz, que deixou o PL para ingressar no PSB, no dia 11 de março. Sem partido, o vereador Hélio Guabiraba também se filiou ao PSB, assim como Antônio Luiz Neto, que saiu do PTB.

Líder do governo na Câmara Municipal, o vereador Eriberto Rafael (PTC), afirma que no dia a dia dos trabalhos legislativos, não deverá haver muita alteração, apesar de considerar importante as mudanças na base governista. “A base do governo ganha, mas nós sempre trabalhamos com muito diálogo. O prefeito sempre pediu para que preservássemos o diálogo com a oposição, por entender o papel da oposição e saber que as divergências são importantes para a democracia”, declarou.

Eriberto Rafael, inclusive, poderá anunciar sua filiação ao PP, partido do deputado federal Eduardo Fonte, com quem tem conversado desde o ano passado. O PP ganhou o reforço do vereador Ricardo Cruz, que antes era filiado do Cidadania. Mas, apesar da baixa, o Cidadania conta com o reforço de

O líder da oposição, Renato Antunes (PSC), também afirma que não deverá haver grandes mudanças no redesenho entre os partidos. “Quem tá na oposição permanece, não muda a composição da bancada. Agora, se configurar a candidatura da deputada federal Marília Arraes (PT), pode ser que o partido sai da base. Quem é governista, mesmo com a troca, tende a ficar como está”, declarou. No entanto, Antunes faz uma ressalva sobre o modus operandi dos projetos do Executivo. “Se existia um rolo compressor antes, agora vai ser muito maior”, disparou.